97 anos de emancipação política de Esperantina, foi comemorado com uma missa e bolo

1

A cidade de Esperantina, completou ontem (28), 97 anos de emancipação política e foi comemorado com uma missa em praça pública e também houve distribuição de bolo para a população presente.

A missa aconteceu na praça Leônidas e foi celebrada pelos padres Jeremias e Evandro.

Estiveram presentes na celebração da santa missa a prefeita Vilma Amorim, o vice-prefeito Janio Filho, o presidente da câmara Manoel Filho, os vereadores Zé Cláudio, Zé Germano, Denival e Domingos Luiz, a deputada Jannaina Marques, o deputado Francisco Limma e os secretários, Célia Ibiapina, Regina Vale, Elizangela Amorim, Bonifácio, Epaminondas, Bete Aguiar e Inês Monção.

Após a santa missa foi cantado os parabéns a cidade de Esperantina, acompanhado pela banda de música Mestre Chico.

A prefeita Vilma Amorim, agradeceu a presença de sua família nas atividades festivas do aniversário de Esperantina e também a presenças dos deputados.

“Queremos agradecer a Deus em primeiro lugar por estes 97 anos de nossa cidade, Esperantina tem se destacado no território dos cocais, pelo seu povo batalhador, empreendedor e com isto estamos trabalhando para que ela continue crescendo e se desenvolvendo cada vez, mesmo com esta crise que afeta todos os municípios nós estamos conseguindo realizar obras, para que a nossa população continue vivendo melhor, cuidar das pessoas é nossa meta, quero agradecer a colaboração de cada um que tem contribuído com o desenvolvimento de nossa querida Esperantina”. Falou a prefeita.

Fonte: CCOM Esperantina
1 comentário
  1. Paulo Machado diz

    É uma excelente reportagem, entretanto, como leitor do referido trabalho, devo fazer uma correção. Iniciar uma manchete com número não fica elegante. Além disso, não deve existir vírgula entre o sujeito e o verbo. Assim seria mais adequado: ESPERANTINA COMEMORA 97 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA COM MISSA E BOLO

    Outra forma: COM MISSA E BOLO, ESPERANTINA COMEMORA 97 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA (perceba que aqui a vírgula foi colocada entre dois sujeitos, o que está correto. Mas, se fosse colocado depois do nome da cidade, estria errado).

    Quando se coloca a vírgula entre o sujeito e o verbo, resulta em duas frases isoladas; sem nenhuma conexão uma com a outra. Também não é necessário mencionar na reportagem que Esperantina é uma cidade.

    Obrigado.
    Cordialmente,
    Paulo Machado,
    em São Paulo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.