Acirramento político e discussões afasta as pessoas das redes sociais

0

redes sociaisCom o acirramento político, intensificado diante das manifestações pró-impeachment da presidente Dilma Rousseff neste domingo (13/03), diversas pessoas tem desativado suas contas nas redes sociais devido às discussões exacerbadas.

Ficava no meio da guerra”, diz o funcionário público Henrique Galli, 51. Ele reclama do “Fla-Flu político” dominante no Facebook, que abandonou “pouco antes de a Polícia Federal levar o Lula para depor, felizmente”. Os discursos saturaram tanto que os textos longos foram apelidados de “textões”.

Segundo informações os usuários estão cansados com o bate-boca que tomaram os grupos de WhatsApp e Facebook, não importando a opinião a respeito.

Para a artista plástica Lethícia Barros, 21, a plataforma virou um “ramo de papagaio”, em que só se replica conteúdo, sem reflexão. “Quem gosta de discutir política senta e debate.” Ela desativou sua conta há um mês, mas já tinha feito isso em outras ocasiões. No grupo da família do WhatsApp, diz, é impossível conversar sobre política.

De acordo com Fábio Malini, do laboratório de cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo, a história da internet no Brasil é recheada de momentos mais acirrados.

“Em 2002, as brigas eram em listas de e-mail. Em 2006, no Orkut; em 2010, no Twitter e, em 2014, já no Facebook”, diz.

Segundo ele, no Facebook há “uma cultura do revide”, causado pela possibilidade de comentar nas postagens de outros usuários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.