Arnaldo Antunes traz surpresas para show em Pedro II

0

Marcelo Jeneci e Edgard Scandurra, dois grandes parceiros de Arnaldo Antunes, estarão no Festival de Inverno de Pedro II. A produção executiva do evento confirmou a participação dos dois artistas, conhecidos internacionalmente pela composição de músicas que são interpretadas por grandes artistas.

Autor de “Feito Pra Acabar”, um dos melhores discos de 2010, segundo veículos como a revista Rolling Stone, Marcelo Jeneci se apresentou na última edição do Rock in Rio, liderou as indicações do VMB 2011 e já é bicampeão na categoria música do ano do Prêmio Multishow. Se em 2009, “Amado”, parceria do compositor com Vanessa da Mata, foi uma das canções mais tocadas e ganhadora da premiação, 2011 foi o ano de “Felicidade”. O compositor e multiinstrumentista terminou 2011 com uma turnê nos Estados Unidos, a convite do Itamaraty. Jeneci passou por Washigton, Miami e Nova York, onde contou com a presença de David Byrne na plateia.

A trajetória de Marcelo Jeneci até o lançamento de “Feito Pra Acabar” é marcada por parcerias e histórias com grandes nomes da música nacional. Além de compor canções com Chico César, Jeneci assina músicas com Vanessa da Mata – o hit “Amado”, que foi trilha de uma novela global e uma das músicas mais tocadas de 2009 –, Zé Miguel Wisnik e Paulo Neves (“Tempestade Emocional”), Luiz Tatit (“Por Que Nós?”) e Arnaldo Antunes (“Quarto de Dormir”). Também caiu nas graças do cantor Leonardo com a composição “Longe”, outra parceria do jovem paulistano com Arnaldo Antunes que também fez parte de trilha de novela da mesma emissora. Zélia Duncan, que gravou canções inéditas de Jeneci em seu último disco, engrossa o coro dos fãs e parceiros do também multiinstrumentista (Jeneci toca piano, acordeon e guitarra).

Crias de geração responsável pela solidificação do rock no país, Arnaldo Antunes, de 51 anos, e Edgard Scandurra, de 49, perderam a conta de quantas vezes já se cruzaram nos palcos (e bastidores) para celebrar a música. Foi no auge do chamado BRock, em plena década de 1980, que o cantor e o guitarrista se conheceram, quando ainda integravam as bandas Titãs e Ira!, respectivamente. Agora, a dupla se reúne em Pedro II para mais uma apresentação que vai contagiar a cidade.

“Fiquei encantado com a originalidade da pegada de Edgard, desde a primeira vez que o ouvi”, recorda Arnaldo, destacando a inventividade e a versatilidade da guitarra do amigo, com o qual ele diz afinar muito, por conta do repertório. No período em que trabalhava em uma revista paulistana, Arnaldo chegou a entrevistar Scandurra – já no primeiro disco pós -Titãs fez questão de convocá-lo para gravar.

“Desde então, todos os meus discos solo contam com a participação dele”, orgulha-se Arnaldo Antunes, lembrando que foi “dessa estrada” que nasceu a parceria dele com Edgard Scandurra, “um guitarrista especial e original”. Por conta da afinidade musical, que resultou em repertório conjunto, os dois bolaram show com o qual circularam durante dois anos, antes da gravação de A curva da cintura.

Para Edgard Scandurra, o que chamou atenção desde que conheceu o amigo e parceiro foi a facilidade que Arnaldo Antunes tem de fazer letras para os mais diversos estilos de música.

“Seja experimental, fazendo uso da poesia concreta, ou aquelas de melodias mais pop, canção mesmo, romântica, rock’n’roll e até funk”, lista o guitarrista, que considera Arnaldo um dos maiores letristas do Brasil. “Daí a facilidade de compormos”, constata o guitarrista, que, habitualmente, faz a melodia, que envia para Arnaldo colocar a letra.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.