Beth Cuscuz e dono do Copacabana são presos em Teresina

2
Beth Cuscuz
Beth Cuscuz

A polícia civil conseguiu prender no início da manhã desta terça-feira (14/08), a empresária Beth Cuscuz, proprietária do prostíbulo mais famoso de Teresina de mesmo nome. Foi preso ainda na operação, o dono da boate Copacabana, identificado apenas como Carlão. As prisões ocorreram durante a deflagração da operação Aspásia da Polícia Civil que investiga uma rede de prostituição em Teresina através de sites que agenciavam mulheres para empresários e até políticos do Estado.

Até agora, pelo menos sete homens e cinco mulheres já teriam sido presos na operação. A polícia civil divulgou nota dando informações sobre a operação deflagrada na manhã de hoje. Na Comissão Investigadora do Crime Organizado (CICO), que há mais de um ano trabalhava na investigação dos supostos crimes, dezenas de mulheres que trabalhavam nestes locais estão prestando depoimento, consideradas vítimas deste processo.

Beth Cuscuz e Carlão devem responder por formação de quadrilha, manutenção de estabelecimento para prostituição e tráfico de pessoas, já que aliciavam pessoas de outros estados para trabalhar nestes locais. Uma das grandes provas que ajudaram na deflagração desta operação foram escutas telefônicas de empresários e políticos negociando através de sites as jovens.

São muitos mandados de prisão e apreensão a serem cumpridos durante a operação, além de mandados de condução coercitiva. Às 11h, conforme divulgou em nota a polícia civil, será dada uma coletiva de imprensa por parte do comando da polícia civil na Acadepol. A operação é comandada diretamente pelo Delegado Geral de Polícia Civil do Piauí, James Guerra e a delegada Daniele.

Fonte: 180graus

 

2 Comentários
  1. edinaldo diz

    Acho tão engraçado!!! Muito ludico tudo isso…..existem privês como do tal fernando no Sta Moniaca Apto 303, e a tal da raimundinha, depois do cortume na zona norte..so pegam os grandes e de onde tudo começa? é dos pequenos que começam a exploração.. kd providencias quanto a esses?

    1. ad hoc diz

      pequeno ou grande, isso é como tapar sol com peneira criminalizando o meretricio, como se as mulheres lá nao fossem de maior e nao pudessem escolher q caminho ter.

      Alem do mais geralmente se ataca mais os pequenos em vez dos grandes, sendo que se alguem quer dar prejuizo a algo mirando os maiores o impacto é maior.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.