Deputado do PMDB não aceita pesquisa proposta por Ciro Nogueira

0

A proposta apresentada pelo senador Ciro Nogueira (Progressistas) de que a escolha do vice na chapa de Wellington Dias (PT) em 2018 deve ser através de uma pesquisa de opinião pública e de apoio político não foi bem vista pelos deputados peemedebistas. Eles defendem que a aliança de partidos que apoiam o governador deve ser firmada com a participação de PT, Progressistas e PMDB na chapa majoritária, mas sem esse negócio de pesquisa. 

Quem expressa essa opinião é o deputado estadual e presidente da Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares, Pablo Santos (PMDB). Para ele, as siglas partidárias que estão apoiando Wellington Dias devem marchar juntas nas eleições de 2018. No entanto, ele considera que os maiores partidos tenham a indicação na chapa majoritária.

“A eleição de 2014 é lógico que deve ser respeitada na coligação de 2018. Mas a realidade de 2018 é totalmente diferente. O grupo do governador está maior, mais forte, com um leque maior de partidos e, para que essa coligação se mantenha forte e unida, é necessário que os partidos tenham uma maior representatividade não só na Assembleia, mas em número de prefeitos e vereadores. E que essa coligação seja respeitada e que todos participem da chapa majoritária”, defende Pablo Santos.

Ele considera que é natural o Progressistas querer a vaga de vice e uma de senador, mas avalia que é preciso ter flexibilidade porque a conjuntura é totalmente diferente de 2014. Pablo defende que, se for necessário realizar uma pesquisa, que ela também seja feita para os candidatos a senador. A opinião é uma clara alfinetada em Ciro Nogueira, que deve disputar a reeleição para o Senado no próximo ano em meio à denúncias na Lava Jato.

Fonte: ASSESSORIA

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.