Não teremos mais festejos de São Sebastião?

1
Por Macelino Keliton / Espaço Geografico
Por Macelino Keliton / Espaço Geografico

A cidade de Esperantina, catolicamente, é abençoada por santos – Nossa Senhora da Boa Esperança (nossa Padroeira) e São Sebastião (Co-Padroeiro).

De acordo com nosso maior poeta – Antônio Sampaio Pereira, este último, São Sebastião, foi adotado como um dos santos de Esperantina por volta de 1917, quando Cristino Melo, apelando para a intercessão do santo pediu ao grande Mártir que fizesse voltar a tranquilidade ao coração de Esperantina depois de três nebulosos e doentios anos (1915, 1916 e 1917) quando por aqui surgiu uma ‘Peste’ angustiando assim muitas famílias com inúmeras mortes.

Depois da promessa de Cristino Melo nunca mais a ‘peste’ voltou a atacar.

“Ainda hoje, quando por qualquer motivo fala-se em adiar os festejos a São Sebastião, o povo, persignando-se, reprova o adiamento. Promessa é promessa” (Antonio Sampaio).

Eis que nesta penúltima noite de novenário à São Sebastião surge uma informal notícia sobre este santo e consequentemente sobre a Igreja Católica de Esperantina.

As notícias, ruins por sinal, dão conta de que este Festejo à São Sebastião será o último da sua história em nossa Esperantina. Dizem que a Igreja Católica, através de suas dioceses, querem que as cidades tenham apenas um festejo a cada ano. Como Esperantina tem dois festejos por ano (Janeiro e Setembro) querem adotar apenas os da nossa Padroeira (no mês de Setembro).

Verdade ou não, apenas a própria Igreja pode responder esta terrível notícia que surgiu entre os fiéis nestes dias sem ‘pestes’. Caso seja verdade, será uma flechada no peito de Esperantina.

Com a palavra, a Igreja.

“Na vida nada é tudo, tudo é pouco e pouco é nada, portanto, vivemos em um ciclo vicioso”.

1 comentário
  1. Ana diz

    O festejo de São Sebastião não pode acabar,isso é contra a fé dos esperantinenses

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.