População da região não quer mais o presídio de Esperantina

1
Foto: Divulgação/ Sinpoljuspi

Após a rebelião que culminou na fuga de vários detentos da Penitenciária Luiz Gonzaga Rebêlo, no último final de semana, onde os mesmos destruíram quase que por completo o prédio e aterrorizaram a população da região, o Governo do Estado através da SEJUS (Secretaria Estadual de Segurança) interditou o presídio para uma reforma, foi o estopim para a população quase 100% pedirem que o mesmo seja desativado por completo, várias são as manifestações pelas ruas e pelas redes sociais.

O advogo Mussolini Araújo de Carvalho fez uma sugestão que tem a simpatia de todos: 

Já que a Sejus interditou o Presídio de Esperantina, irei fazer uma sugestão ao Governo do Estado.

Que tal fazermos como o Governo do Pará em 2002.

Um antigo presídio da cidade de Belém foi transformado em um Centro Cultural (Espaço São José Liberto) e se tornou uma referência e um dos principais pontos turísticos da capital paraense. Antigo presídio da cidade, desde então abriga o Museu de Gemas do Pará, o Pólo Joalheiro e a Casa do Artesão.

Não queremos essa penitenciária na nossa amada terra da Boa Esperança.

LEIA A HISTORIA AQUI.

O mesmo recebeu o elogio e apoio de vários simpatizantes pela o fechamento definitivo do presídio.

A força popular pode ser um fator decisivo neste momento, pois quem cala consente.

1 comentário
  1. Andressah silva sousa diz

    Por mim contuaria com a penitenciaria em esperantina so que eu acho que aqui em esperantina tem que ter mas policiais aqui em esperantina

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.