População poderá ficar sem atendimento nos fins de semana em delegacias do Piauí

2

Em nota divulgada nas redes sociais e em seu próprio site, o Sindicato dos Delegados do Piauí informa a população sobre cortes sofridos nos salários da categoria e comunica possíveis prejuízos a população do estado.

De acordo com o comunicado, o Governo do Piauí deixou de cumprir nos últimos quatros anos uma serie de melhorias necessárias para o bom funcionamento da Polícia Civil do Estado, dentre elas melhorias salariais, melhorias nas unidades policiais (atualmente insalubres), ausência de pagamento de diárias e verbas indenizatórias, falta de efetivo policial e de delegados, corte nas linhas telefônicas e de internet nas unidades policiais, carência de viaturas, falta de combustível, dentre outros problemas. 

Confira a nota na íntegra!

O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Piauí vem manifestar indignação diante da falta de reconhecimento do Governo Wellington Dias com o serviço prestado pela Polícia Civil, em especial os Delegados.

Toda a classe trabalha incansavelmente, 24 horas por dia e em operações em todo o Estado, mesmo em condições precárias e adversas, no entanto, nós Delegados, desde o início da gestão, estamos sofrendo com recorrentes atos que DESMOTIVAM nosso mister profissional, e contribuindo assim, até mesmo, com a saída prematura de muitos concursados.

Prometeram melhorar as unidades policiais, efetivo e estrutura condizentes, encaminhar legislações, dentre elas a de cumulação e reajuste salarial, efetuar pagamento regular de diárias e das demais verbas indenizatórias, dentre outras medidas necessárias e urgentes, mas nada fora cumprido, em quatro anos de governo.

Capital e interior seguem sem condições mínimas de investigação. Delegacias insalubres, carência de efetivo, linhas telefônicas e internet cortadas, carência de viaturas, suprimentos insatisfatórios, corte de combustível, sendo que este mês em total desapreço ao profissional que arrisca sua vida em tais condições desumanas, apropriaram-se indevidamente do pagamento de horas extras e noturnas já trabalhadas, fato recorrente nos últimos meses.

Todavia, nada parece sensibilizar o governo que está prejudicando não somente o trabalho da Polícia Judiciária, mas principalmente a população, que ficará desassistida. E em respeito a esta, comunicamos, através da presente nota, previamente, apesar de não termos sido dessa forma cientificados, que a partir do mês de fevereiro, passaremos a cumprir uma escala de serviço de acordo com o número de horas pagas pelo Estado, o que acarretará, infelizmente, em não atendimento em alguns dias do mês, principalmente, finais de semana.

A crise generalizada reflete em números alarmantes de criminalidade, na contramão de propagandas em que se prega que vivemos no “paraíso”, tudo desmistificado na realidade das ruas com o crescente aumento da criminalidade.

Finalmente, lamentamos que o governo não pensa no povo quando desconsidera a importância da Polícia Civil e de seus Delegados, comprometendo assim todo o sistema da Segurança Pública e resvalando na população, que continua pagando honestamente seus impostos e não merece esse tratamento por parte do Estado, e sim um serviço público de qualidade.

2 Comentários
  1. Francisco Silva diz

    Em Esperantina já é desta forma ha muitos tempo, atendimento de BOs so no expediente de segunda a sexta até meio dia, quer dizer nos finais de semanas e feriados não tem atendimento BO

  2. Polícia diz

    Culpa do Estado/Governo que não se importa com seu próprio povo e não valoriza aqueles que se propõem a proteger a sociedade. A polícia faz o que pode.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.